quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Vendedor é executado em Maricá

O vendedor de carros Cássiosclay Costa Pinto, 42, foi executado na noite de segunda-feira (4), no portão de casa, na Rua das Amoreiras, em Inoã, Maricá. Dois homens em um carro preto teriam feito os disparos. Testemunhas disseram que os criminosos chamaram Cássiosclay no portão. 

Familiares foram impedidos pelos assassinos de se aproximarem. O vendedor morreu no local. A polícia investiga a hipótese de vingança. 

Fonte: O Fluminense

Direto de uma moradora do Pavão Pavãozinho - Copacabana

Operação do BOPE, antes da implantação das UPPS no Pavão Pavãozinho
Tenho a impressão de ter tomado injeções de jornalismo nas veias. Antes mesmo de receber meu diploma, já tinha um aguçado espírito jornalístico.

Por força de uma consulta médica, estive em Copacabana, na segunda-feira (04/09). Ao parar em um local de lanches para comprar um suco, iniciei uma conversa com a balconista, depois que ela mencionou morar numa comunidade.

Meus neurônios jornalísticos aguçados, me fizeram prosseguir e descobri que a comunidade era o complexo conhecido como "Pavão Pavãozinho", uma das mais violentas da zona sul do Rio.

Entrei no assunto sobre a instalação das Unidade de Polícia Pacificadora e perguntei se ela estava gostando da implantação. Minha surpresa foi enorme, ao ouvir a seguinte declaração: "Tá todo mundo revoltado na comunidade. Antes desse negócio de UPP, todo mundo tinha TV à cabo, pagava R$30,00 de luz e não pagava IPTU nem água. Agora, ninguém mais tem SKY nem NET, a gente tem que se contentar só com os canais normais, tem que pagar R$90,00 de luz, R$80,00 de água e ainda paga IPTU! Tá igual a morar no asfalto, só não tem tiro."

Fiquei pensando...em minha casa, pago IPTU, um imposto além das minhas forças; pago taxas altíssimas de luz, água, telefone e, a idéia de ter TV à cabo nem passa por minha cabeça.

Ao mesmo tempo, vivo entregue aos cuidados de Deus porque nenhuma polícia garante a minha segurança ou a segurança de minha família.

Voltei pra Maricá pensando nas palavras da balconista da lanchonete e imaginei: o povo prefere viver na clandestinidade, sabendo que tudo o que tem é gatonet, gato de luz, gato, gato, gato... mesmo que haja chuva de balas diariamente nas guerras entre facções criminosas e milicianos.

Ninguém pensa que progresso custa e ser "legal" também é caro. Aquela chefe de família não se importa com valores morais, ética ou caráter; quer poder pagar a gatonet, o gatoluz etc.

"Morar na comunidade está igual a morar no asfalto."

Acho que não. Quem mora em comunidade hoje, tem uma Unidade de Polícia Pacificadora garantindo sua segurança; quem mora no asfalto, não tem isso.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Semana de Ciência e Tecnologia 2010



De 19 a 29 de outubro, a cidade Maricá será cenário da II Semana de Ciência e Tecnologia.

Este ano várias instituições e universidades, participarão do evento. No dia 19, o ponto de partida será dado pelas escolas da cidade, com a “Feira de Ciências para a Sustentabilidade”. O tema “Ciência para o Desenvolvimento Sustentável” orienta o calendário de atividades, em 2010.

O evento será contemplado em diversas áreas: Mostra de Tecnologia Educacional, distribuída em oficinas, palestras e workshops; propostas de geração de emprego e renda, com a Oficina de Plantas Medicinais, que vai mostrar o passo a passo de como fazer produtos utilizando recursos naturais; discussão da realidade econômica, com palestras sobre Petróleo e Gás; além de novidades, como: Tijolos Ecológicos e inovação na fabricação de materiais a partir do PET.

Na Casa Digital, no Centro, o Grupo Cequipel  (maior fabricante de mobiliário escolar da América Latina) trará equipamentos de ponta, como a Lousa Interativa e o computador que fica acoplado em carteira escolar. Ainda haverá, na Praça Orlando de Barros Pimentel, coleta de lixo eletrônico, organizada pelo Instituto Ambiental Reciclar.

Há uma programação especial para escolas, professores e alunos, com a Casa da Descoberta, uma instituição da Universidade Federal Fluminense (UFF), que traz interessantes experimentos físicos. A Carreta Ampla também estaciona na cidade, com oficinas de consumo consciente de energia, capacitação para agentes comunitários e concurso cultural. E quem já passou dos 65 anos também não vai ficar de fora. Durante a Semana de Ciência e Tecnologia, será lançada a primeira etapa do curso de Iniciação em Informática para a terceira idade.

A Semana de Ciência e Tecnologia em Maricá, lança o desafio de incentivar o pensamento que associa desenvolvimento econômico e meio ambiente; não apenas de florestas, mas também de espaço urbano. Progresso e desenvolvimento sustentável devem caminhar lado a lado para a melhor qualidade de vida da população. 

A cidade se junta a outras milhares localidades brasileiras, que estarão implantando as mesmas ações, com organização nacional do Ministério da Ciência e Tecnologia.


Pontos de inscrições:
Casa Digital, na Praça Orlando de Barros Pimentel - Centro
Secretaria Municipal de Educação: Rua Barcelar da Silva Bezerra, 105 - Boa Vista
Instituto Ambiental Reciclar, na Rua 116, esquina com Av. Central – Cordeirinho

Mais informações:
Subsecretaria de Ciência e Tecnologia (21) 2637-8817 – ramal 28.

Secretaria de Gestão de Metas apresenta os alvos alcançados pela prefeitura, nos últimos 2 anos


Secretaria Municipal de Gestão e Metas, reúne-se com representantes do CCS, COMCID, Sub-prefeitos e representantes de Associação de Moradores, para apresentar os resultados obtidos, na gestão do prefeito Washington Quaquá, nos último 2 anos.

“Estou aqui, para mostrar o que conseguimos fazer, até agora. Temos uma meta, mas, não vamos falar do que ainda não alcançamos e sim do que conseguimos realizar até agora” – Janete Valladão – Secretária de Gestão de Metas.

Com a presença de boa parte dos representantes dos órgãos populares de Maricá, Janette Valladão apresentou relatório dos resultados conseguidos pela prefeitura, nos últimos dois anos.

Estavam presentes outros secretários municipais que, quando solicitados, responderam aos questionamentos levantados pela plenária.

A reunião durou, aproximadamente quatro horas e teve participação popular.

Os representantes dos conselhos apontaram falhas a serem sanadas em regime de urgência e cobraram atitudes principalmente dos secretários de Saúde e de Educação.

A reunião com os secretários e os conselheiros e representantes populares,  se dará, sempre, na última terça-feira de cada mês, no Palladon.

Arthur Billè deixa a Secretaria de Obras de Maricá

Arthur Billè 

A Secretaria de Obras de Maricá segundo informações,  esteve fechada,  na segunda-feira (04/10). 

Soubemos, pelo sub-secretário do Meio Ambiente, Thiado Rangel,  que Arthur Billè, Secretário de Obras do Município, deixou o cargo ontem.

Há rumores de que Artur Billé teria sido exonerado do cargo, por divergências políticas. Porém, Thiago Rangel, em entrevista ao Jornal A Semana, informou que Arthur Billè havia solicitado sua saída da secretaria, há pelo menos duas semanas, por razões pessoais e só aguardava a passagem do pleito eleitoral, para entregar  o cargo.

Quem responde interinamente pela Secretaria de Obras é Celso Cabral, Secretário de Meio Ambiente e Urbanismo.

Continuamos na busca por novas informações.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A história se repete.


Como em todas as eleições realizadas no Brasil, os eleitores fizeram sua parte: saíram às ruas, munidos do documento com foto, foram aos locais de votação e esperaram, alguns, 40 minutos na fila, mas, votaram.

O cidadão maricaense está de parabéns pelo exercício da cidadania. 

Nas visitas aos locais de votação, em Ponta Negra, Bambuí, São José do Imbassaí, Espraiado, Flamengo, Centro de Maricá, Itaipuaçu e Inoã, não foram poucos os idosos que, mesmo sem a obrigatoriedade, deixaram suas casas num dia frio e chuvoso, para ir às urnas.

A todos os candidatos, sem exceção, novamente, nota zero!

As bocas de urna flagrantes, pagas a preços que variavam entre R$100,00 e R$150,00 eram vistas facilmente. 

Em nossa incursão por Maricá, vimos muita coisa errada com a Polícia Militar por perto, sem nenhuma preocupação. 

A única manifestação policial flagrada por nossa reportagem foi a inibição de um protesto silencioso, na porta da Prefeitura de Maricá, onde um pequeno grupo, deixou uma cruz, com a inscrição: “Salvem a Restinga”.

De forma imediata, um sub-prefeito apareceu e retirou a cruz, deixando na calçada vizinha. Depois da insistência de poucos manifestantes, sem baderna, de recolocarem a cruz em frente à Prefeitura, a Guarda Municipal interveio, mas, assim como os cidadãos são obrigados a votar (não é uma escolha), existe algo chamado direito à liberdade de opinião e expressão e, a persistência dos manifestantes foi maior do que a dos Guardas Municipais que, acabaram saindo e deixando a cruz na calçada da Prefeitura.

A Polícia Militar ou a Guarda Municipal coibindo boca de urna, nenhum dos repórteres de A Semana testemunharam.

No pleno exercício de ignorar solenemente a Lei Eleitoral, algo que os candidatos sabem fazer como ninguém, milhares de “santinhos” foram espalhados pelas ruas, deixando a cidade mais suja do que já estava antes.

Maricá no final do pleito eleitoral, estava literalmente no lixo!

Junto com a chuva fina que caiu durante parte do dia, o papel dos “santinhos” foi se dissolvendo e, em alguns lugares, misturava-se com a lama. 

Ao ser perguntado por uma de nossas repórteres sobre a quantidade de propaganda irregular nas ruas, um morador do Centro de Maricá, indignado declarou: “Se eles fazem essa sujeira nas ruas, no dia da eleição, imaginem o que não vão aprontar na ALERJ!”

Já, Luciana, moradora de Bambuí afirmou: “Nenhum desses candidatos deveria receber voto. Não respeitaram a cidade, nós deveríamos anular tudo!”

Uma eleitora intitulada "Barbie", irritada  com a falta de respeito dos candidatos, resolveu juntar a pilha de propaganda irregular  de um mesmo candidato, jogada ao lado do Colégio Joana Rangel – Centro, e jogou os papéis para o alto, dizendo: “Vamos sortear quem vai ganhar a eleição!”

Francamente, Maricá não precisava de mais lixo.

video